Acabe com a Diabetes Naturalmente e Fazendo uma Dieta bem gostosa

(Last Updated On: September 17, 2017)

O tratamento convencional para diabéticos não produz resultados – somente esconde os sintomas, mas o tratamento ideal esta ao seu alcance


 

A DIABETES TIPO II: um resumo

 

Diabetes tem jeito sim. Se você procura uma resposta para o seu problema com a diabetes, achou a página certa. Minhas informações são praticas, científicas, sem custo e dão resultados para quem luta com a diabetes. Leia com atenção e controle a sua diabetes naturalmente, com sustentabilidade e em casa. Vá devagar o artigo é longo, se você não tem tempo faça um bookmark dessa página e volte depois.

Trabalho com diabéticos todos os dias e vejo de perto como a diabete progride até atingir estágios irreversíveis. Os pacientes sofrem de diversas condições clinicas nefastas e acabam perecendo após anos de sofrimento. No processo, amputações, cegueira, escarras, hemodiálise, e dores nevrálgicas são comuns.

Causa-me muita tristeza observar que o uso da insulina e outros remédios como Sulfoniluréias, Biguanidas, Ainibidores de alfa-glicosidase receitados por médicos, apenas mascaram os sintomas não impedindo o progresso da diabetes. A boa noticia é que há uma forma melhor de tratar a diabetes, e esta ao seu alcance.

Existe um jeito de acabar com o processo diabético. Basta usar os alimentos certos e eliminar os errados; ao mesmo tempo entender como o corpo produz energia. O processo que vou explicar aqui exige a sua total atenção e participação. Importante também é entender como uma pessoa torna-se diabética. Uma vez entendido isso, torna-se fácil obter resultados, e estes vai depender também da sua persistência e seriedade em segui-los.

Os maiores obstáculos para o controle da diabetes são: (1) conseguir abster-se de carboidratos, e (2) entender como os carboidratos agem na promoção da diabetes

A diabetes é uma condição que necessita sua atenção diária, e isso simplesmente não acontece com o atual sistema médico porque gastar tempo com cliente não da dinheiro. Médicos e especialistas somente receitam comprimidos ou insulinas, falam sobre dieta e exercícios durante 3 minutos e deixam os pacientes com mil perguntas.

Isso é inaceitável diante da seriedade desta condição. Infelizmente, meu caro amigo (a) a indústria de remédios para diabetes é bilionária e quer continuar sendo. Vendem remédios que não funcionam e você fica com a conta.

O que me chama mais atenção é como a informação para prevenir a diabetes é insuficiente. O típico panfleto anti diabetes é assim: uma explicação completa sobre os males da diabetes, os sintomas, o que não adianta muito para o diabético pois tudo isso ele já sabe.

No final do panfleto (a menor parte) onde diz “como prevenir” diz para voce mudar a sua dieta para uma dieta mais saudável e fazer exercícios. Mas isso simplesmente não adianta nada. Voce pode ter a dieta mais saldável do mundo e continuar sendo diabético. Não basta ter uma dieta saldável; são os alimentos errados é que voce tem que parar de consumir.

Primeiro passo: mude a sua atitude em relação à diabetes

Pare de pensar na diabetes como uma doença

Infelizmente a medicina cunhou a ideia de que a diabetes é uma doença. Isso logo cria ansiedade e stress, piorando a sua diabetes. Diabetes só é considerada doença quando entra no estado avançado onde os rins e o fígado ficam comprometidos. A maioria das pessoas com diabetes encontram-se no estado pre diabético que pode ser facilmente revertido.

A diabetes no inicio pode ser comparada a um processo alérgico ou inflamatório. Você pode facilmente evitar este processo. Basta não ingerir a substancia que esta lhe causando alergia ou inflamação: no caso da diabetes: o carboidrato e o açúcar.

O que é a diabetes tipo II?

A característica principal da diabetes é a resistência celular à insulina, e o acumulo de açúcar (glicose) no sangue. Outro fator importante são os danos causados ao pancreas e a consequente diminuição na produção de insulina.

Quando voce ingere um carboidrato assim como pão, massas, ou arroz (existem muitos outros carboidratos) estes alimentos são imediatamente transformados em glicose (ou como muitos dizem – açúcar no sangue). Pense na glicose como se fosse o combustível do corpo. É uma substancia poderosa com alto teor energético e que também contem propriedades corrosivas assim como a gasolina.

O organismo prefere tirar a energia da glicose porque é mais fácil. A glicose é facilmente transformada em ATP (fosfato de adenosina) que é o produto final necessário às células, músculos e cérebro. (por isso as pessoas ficarem confusas quando tem uma baixa de açúcar, pois falta energia para o cérebro!).

Porém como temos o costume de ingerir quantidades excessivas de carboidratos, e o fazemos o dia inteiro sem parar, e todos os dias. Essas taxas excessivas de glicose começam a causar problemas, pois ha mais glicose disponível do que podemos usar. A glicose acumulada no sangue cause inflamação e também compromete as células vermelhas a transportarem oxigênio, uma condição  chamada glicação. Então o que acontece com a glicose aumentada?

O fígado manda um sinal ao pancreas para aumentar a secreção de insulina. Porem com a produção aumentada da insulina ocorrem outros problemas: o principal é que as células de certas pessoas (propensas à diabetes) tornam-se resistentes à insulina, ou seja, não mais respondem aos sinais químicos da insulina para transformar glicose em energia ATP. Isso ocorre com as pessoas que tem herança genética propensa a diabetes, mas também ocorre com quem não tem essa herança, só que não chegam a diabetes mas acabam sofrendo de obesidade, falaremos disso abaixo.

Porém essa herança genética é uma qualidade e não um defeito. No passado, quem a possuía tinha mais habilidades para sobreviver em tempos de fome. Nossos antepassados tinham pouco acesso aos carboidratos.

Entenda o que é a insulina

A insulina é um hormônio poderoso. O que muitos não sabem é que a insulina é também o hormônio da fome. As funções principais da insulina são

  1. Funciona como uma chave abrindo as células para receberem a glicose
  2. Armazena gorduras
  3. Funciona como regulador do apetite: com a presença dos carboidratos a insulina ativa a leptina que produz a sensação de fome induzindo à ingestão de mais carboidratos. (já notou que depois que voce come um prato de massas já fica logo com fome)

Armazenamento de gorduras. Inicialmente a gordura acumula-se no fígado e vísceras e mais tarde nos tecidos adiposos (barriga, pernas etc…). Mas porque a insulina armazena gorduras?

A gordura é a forma de energia mais eficiente que possuímos. As reservas de gordura no corpo podem manter-nos vivo por meses desde que tenha-se agua para beber. Somos pré-programados para sobreviver sem alimentação, e isso significa – armazenamento de gordura. Nosso corpo é mais capaz de tolerar a fome, do que ter alimento em excesso.

O organismo necessita de armazenar gordura porque a gordura no corpo é a forma mais estável de se obter energia de forma sustentável. Uma grama de gordura contém 9 calorias ao passo que o carboidrato e a proteína contem apenas 4.

Os problemas começam porque hoje nunca ha falta de comida, e o armazém de gorduras no corpo nunca é usado. Isso causa problemas pois estamos constantemente funcionando a base de carboidratos; uma forma temporária de produção de energia.

No passado não havia abundancia de alimentos. As pessoas passavam muitas horas sem comer (o que pode ser duplicado hoje fazendo jejum). Havia falta de alimentos, e carboidratos não eram tão comuns como são hoje (principalmente os fast foods). As pessoas também comiam mais gorduras pois no passado não existia essa tolice de que gorduras fazem mal. (veremos isso abaixo, continue lendo).

A diabetes começa com o excesso de insulina no sangue

O problema é que muita gente só pensa no açúcar alto no sangue quando se fala em diabetes. Mas o problema começa com o excesso de insulina. Então pra acabar com a diabetes temos que primeiro achar uma maneira de viver sem produzir muita insulina mas isso é possível.

A boa notícia é que existe uma maneira de viver sem a insulina (ou quase sem)

Para certas pessoas a insulina em excesso causa um processo inflamatório ou de rejeição pelas células. Isso chama-se resistência à insulina. E como ocorre isso? Isso ocorre porque as células ficam abarrotadas de glicose pois ha muito mais glicose no sangue do que é necessário. A insulina é como se fosse um pedido para que as células abram suas portas para receberem glicose. Mas quando ha excesso de glicose, as células aprendem a não mais responderem aos pedidos na insulina, mesmo que necessitem glicose.

Resistencia celular à insulina é assim: imagine que o seu telefone toca o dia inteiro e quando voce atende é sempre um cara querendo vender coisas que voce não quer comprar. O que acontece: um belo dia voce simplesmente passa a não atender o telefone

Então voce ingeriu grandes quantidade de carboidratos, que são convertido em glicose. Suas células não respondem mais aos pedidos da insulina. Duas coisas acontecem e nenhuma delas é boa:

  • O seu açúcar no sangue fica alto e com o tempo causam inúmeros danos aos nervos, tecidos e órgãos.
  • Mais outra coisa também acontece: o excesso de glicose é transformado em gordura.

Nem todo mundo que tem resistência à insulina é diabético. Pessoas obesas ou que não conseguem perder peso mesmo fazendo exercício podem estar sofrendo de resistência a insulina. Elas simplesmente não chegam ao estado diabético e so ficam obesas.

Dizem que as pessoas obesas tem mais chances de tornaram-se diabéticas. Não é porque a obesidade causa a diabetes, mas é porque elas por serem obesas, já apresentam resistência à insulina – e até chegar a diabetes é uma questão de tempo. Esse é um detalhe pouco observado.

Por sua vez, o acumulo de gordura contribui para o processo diabético devido ao risco do fígado gorduroso. O fígado é um importante regulador do sistema de absorção e distribuição da energia proporcionada pelos alimentos. Uma vez que o fígado fica doente devido ao excesso de gordura, o processo da diabetes acelera-se consideravelmente.

Essa é a historia simplificada de como a diabetes tem início, mas como trata-la?



COMO ACABAR COM A DIABETES


 

Não há nenhum segredo: você pode acabar com a diabetes agora mesmo, simplesmente limitando ou eliminando completamente a ingestão de açucares ou carboidratos. Mas é só isso? Sim, basicamente é só isso.

O pulo do gato esta em como você realiza e mantém essa mudança de dieta. O maior problema é basicamente eliminar os carboidratos pois eles são quase como um vício na nossa cultura alimentar e isso requer muita força de vontade. A grande dificuldade e que a alimentação faz parte da nossa vida social, e carboidratos são sempre a alegria da festa. Como resisti-los? Pense nos benefícios e como a diabetes pode arrasar a sua vida.

Eliminando a insulina: o truque para acabar com a diabetes

O nosso organismo necessita de trifosfato de adenosina (ATP) para viver. Podemos obter isso dos carboidratos, através da ingestão de alimentos como o pão, massas, açucares, frutas (todos os carboidratos) que são prontamente convertidos em glicose.

Porem nosso organismo é sábio e tem outras fontes de energia. Nosso corpo armazena energia de duas outras formas: gorduras e o glicogênio.

A glicose é a fonte principal e mais fácil de ser usada, depois vem o glicogênio que é uma forma de glicose concentrada, e finalmente as gorduras que são os nossos armazéns de energia.

  • Gorduras: são fontes de energia de grande duração. Podemos produzir energia da gordura e isso permite a nossa sobrevivência por muitos dias sem comer!
  • Glicogênio: são bloquinhos de energia prontos para serem usados quando não ha glicose ou a taxa de glicose no sangue esta baixa. O glicogênio fica armazenado no fígado e nos músculos. (e é por isso que ha vantagem e fazer musculação para combater a diabetes) 

Se a taxa de glicose no sangue esta baixa o fígado produz glucagon, um hormônio que transforma o glicogênio em glicose. Porem nosso corpo pode buscar energia convertendo as gorduras armazenadas, Este processo é chamado gliconeogênese. Onde as gorduras são convertidas em energia.

Quando usamos of glicogênio e gliconeogênese não há o envolvimento da insulina e a nossa meta é usar estes dois sistemas de produção de energia para combater a diabetes

Porque é tão importante entender esse processo. É simples: se você não se alimenta de carboidratos (ou o faz bem pouco) o seu corpo vai se habituar a fabricar energia destas duas outras formas: gorduras e glicogênio. Mas neste tipo de  produção de energia não há necessidade de insulina. Não havendo insulina, não há resistência celular à insulina e todos os problemas associados com essa condição e o fim da diabetes.

Um grande equívoco incutido na cabeça das pessoas é que necessitamos de comer carboidratos o tempo todo para viver. E que a sua ausência pode levar a pessoa a passar mal, ficar tonta, desmaiar ou ter convulsões, ou até entrar em coma (isso é uma grade tolice).

Devido a esse medo, as pessoas comem o tempo todo. Qualquer fomezinha que da, nos entupimos pelo que estiver pela frente (geralmente, carboidratos). Isso apenas promove e consolida o sistema de dependência da glicose e nos faz dependentes. Vamos por partes.

Uma palavra sobre os carboidratos

Não vou entrar em muitos detalhes sobre os carboidratos pois não é o foco deste artigo. Os carboidratos, em especial os mais naturais, orgânicos, e integrais são ótimos alimentos. Eles por sua podem ser benéficos.

Não é o carboidrato em si que é prejudicial. O que é prejudicial, em particular para diabéticos ou pré diabéticos é o seu consumo exagerado onde a produção exacerbada de insulina torna-se um problema. O problema do carboidrato é a sua natureza de extremo teor calórico e de imediata transformação em glicose.

Uma palavra sobre gorduras

É necessário entender o que é a gordura. Mais importante porém é saber que a gordura não faz mal a saúde. Um dos maiores erros da saúde pública foi a proibição das gorduras. Existe hoje a ideia de que se voce come gorduras, assim como a manteiga, queijo, gordura de porco, gordura de coco, vai ter doenças de coração e no final, um ataque cardíaco. Hoje existem dezenas de estudos que comprovam isso não ser verdade. Esta postura esta mudando.

Retirar as gorduras da alimentação foi a pior ideia que já foi concebida, porque as gorduras sempre foram uma parte importante da nossa alimentação. Como as gorduras nos dão a satisfação alimentar, a sua retirada requer um substituto alimentar: e para nos sentir satisfeitos substituímos as gorduras por carboidratos e açúcar, um grade erro.

Este erro vem promovendo um aumento absurdo nas taxas de diabetes. Devemos pensar em gorduras saldáveis e nos alimentar delas o máximo possível. Não só a gordura nos proporciona 9 calorias por grama, ela nos deixa mais satisfeitos e com menos fome.

Gorduras saudáveis

  1. Abacate
  2. Óleo de coco
  3. Manteiga
  4. Salmão
  5. Banha de porco
  6. Creme de leite
  7. Iogurte integral (sem açúcar)
  8. Azeite de oliva
  9. Nozes e sementes oleosas

Gorduras que fazem mal

  1. Margarina
  2. Óleo de soja
  3. Óleo de canola
  4. Óleo de milho
  5. Gorduras trans
  6. Gordura vegetal
Comer gorduras não faz voce ficar mais gordo(a)

Sobre as proteínas

Proteínas embora não sejam carboidratos são também passiveis em serem transformadas em glicose para energia. Trataremos as proteínas em segundo plano, ou seja elimine primeiro os carboidratos, mas não substitua os carboidratos pelas proteínas. Proteínas não são alimentos que produzem energia. Proteínas são úteis na construção celular. Não se preocupe com as proteínas, voce provavelmente não tem insuficiência proteica.

A mudança de dieta


 

Um dos problemas com a dieta tradicional para diabéticos, é que ela esta baseada na contatem de carboidratos. Existem dois problemas com essa ideia:

  1. É praticamente impossível saber com precisão quantas calorias ingerimos ou gastamos. Mesmo que estivéssemos em um laboratório não conseguiríamos faze-lo: é tolice.
  2. Contando ou não contado carboidratos ainda estamos produzindo insulina e não a como reverter o processo diabético com a presença da insulina e mais ainda com o excesso de insulina.

Pense em porcentagens. Na nossa dieta não há contagem, e tudo que voce tem que fazer é cuidar das porcentagens e proporções de gorduras, carboidratos e proteínas. Sua meta é diminuir ao máximo as proteínas e carboidratos e aumentar ao máximo as gorduras saldáveis.

Mas qual é a porcentagem ideal? Isso vai depender do seu grau de intolerância à insulina e glicose como mencionei acima. Quanto mais diabético voce é mais vai ter que cortar os carboidratos.

Se o seu açúcar sanguíneo esta na faixa os 300 – 400 mg/dl deve cortar os carboidratos por completo ou consumir somente 5% da sua alimentação em carboidratos. Se o açúcar esta na faixa dos 140 – 200 mg/dl voce poderá ainda consumir entre 10 -20 %. Mas como por isso em prática?

O segredo da dieta é ativar a “Chave metabólica”

Nosso organismo é uma maquina biológica, e como toda maquina necessita de alguma forma de combustível. Nosso combustível chama-se ATP, ou trifosfato de adenosina. ATP pode ser produzida de varias fontes.

A fontes principais são duas: a glicose e as gorduras. (como vimos acima). A glicose é preferida por ser abundante e de fácil assimilação. Mas as gorduras são apenas secundárias devido ao fato de haver um custo inicial de energia para que sejam assimiladas. Porem as gorduras são mais ricas pois possuem 9 calorias por gramo, ao passo que a glicose tem apenas 4 calorias por gramo. Alimentar-se de gorduras é mais eficiente.

Pense no sistema energético do corpo como se fosse um motor movido a duas fontes de energia: (1) gorduras ou (2) glicose. Neste organismo existe um sistema de comando central onde há (imaginemos) uma chave que pode trocar um sistema pelo outro. Em suma, temos a habilidade de fazer esta mudança a qualquer hora do dia. Só o corpo sente que não há glicose suficiente, a chave é mudada para queimar gorduras; se há glicose suficiente a chave fica no seu modo padrão: usa os carboidratos. Se há a presença da glicose continuamente (carboidratos) o corpo se utiliza desta fonte e não da outra. Porem há um problema.

Nosso organismo pode ficar mal acostumado. Se ingerimos glicose o tempo todo, e a glicose é mais barata na produção de ATP; o organismo prefere isso e fica sempre pedindo mais glicose. Voce pode notar isso se estiver com uma baixa de glicose. Vamos supor que voce comeu comeu um pedaço enorme de bolo com um recheio de puro açúcar. Por alguns momentos voce vai sentir-se bem mas logo vais ficar com muita fome. Se o seu açúcar ficar mais baixo vai sentir irritabilidade e uma dificuldade ate de pensar, fraqueza  nas pernas, e um série de outros efeitos desagradáveis. O organismo da maioria das pessoas que comem carboidratos e açucares o tempo todo e acaba por perder a habilidade de mudar a chave de lado.

Existem duas modalidades de produção de energia: (1) queimador de glicose (2) queimador de gorduras. O controle da diabetes pode ser obtido se o seu corpo for Por que é tão  importante tornar-se um “queimador de gorduras”

A maioria das pessoas hoje são do tipo queimador de glicose e nunca trocam de modalidade porque o organismo esta sempre suprido de carboidratos. Dai a dificuldade em perder peso, pois o corpo nunca queima gorduras pois simplesmente não necessita de faze-lo. Nossos problemas começam porque a quantidade excessiva de carboidratos promove a quantidade excessiva na produção de insulina.

Com a quantidade excessiva de insulina diariamente, começam os problemas:

  1. Resistência celular à insulina: a quantidade exacerbada na produção da insulina acaba por destruir a habilidade das células em absorverem a glicose e isso leva à uma série de outros problemas em cascata
  2. Acúmulo de glicose no sangue: como as células não tem mais a capacidade de utilizar a glicose, esta fica acumulada no sangue. As propriedades da glicose são corrosivas destruindo os nervos, tecidos e órgãos ao longo dos anos
  3. Falência do pâncreas: a produção exacerbada da insulina estimulada pelo consumo desenfreado de carboidratos pode causar a falência ou exaustão do pâncreas que passa a produzir menos insulina acelerando o processo diabético 
  4. Fígado gorduroso: finalmente a única alternativa que o corpo tem para livrar-se do acumulo de glicose no sangue é converter uma parte em gorduras. Estas gorduras vão em grande parta para o fígado. Por sua vez tornando este órgão doente e avança o processo diabético num um circulo vicioso.

Como treinar o corpo e tornar-se um “queimador de gorduras”

Este sistema de troca energética, vamos chama-la de chave metabólica é um sistema natural que todos nós possuímos. Este sistema funciona a partir de sinais bioquímicos. É fácil observar quando o corpo ativa a chave metabólica e isso pode ser conseguido em alguns dias. Os sinais principais que devemos enviar são:

(1) A ingestão aumentada de gorduras

Quando ingerimos uma maior porcentagem de gorduras do que carboidratos e proteínas, enviamos um sinal direto à chave metabólica para que comece a trabalhar.

(2) A ingestão diminuída de carboidratos

Da mesma forma, quando diminuímos a porcentagem de carboidratos, ativamos a chave para usar a modalidade “queima de gorduras”]

(3) Períodos frequentes de jejum

Se passamos muitas horas em jejum, um sinal é produzido indicando que há falta de glicose o que ativa o processo de gliconeogênese e todos os outros processos que criam energia das outras fontes que não são carboidratos.

No momento em nos tornamos queimadores de gorduras ou a conseguimos ativar a chave metabólica, não há glicose em excesso, não há açúcar alto no sangue e não há acumulo de gordura no fígado. O organismo por um todo funciona melhor, não mais existem taxas altas ou baixas de energia pois a energia esta sendo produzida em demanda.

É possível perder um almoço, ou ficar horas sem comer sem sentir-se fraco ou tonto. Esta é a maneira que o organismo dos nossos antepassados sempre funcionou e sobreviveu.

Períodos de falta de comida; alimentos com mais gorduras; e poucos carboidratos e açucares

Como saber se você mudou a chave metabólica

Este processo pode durar apenas alguns dias. Seu corpo é sábio e esta pronto para reagir prontamente aos seus comandos. Tem memória de milhões de anos e esta tudo guardado na sua genética. Desde que você comece a praticar os itens acima, em duas semanas vai começar a notar a diferença.

A primeira diferença que você vai sentir é como a fome tem outra característica. Temos fome mas não é um sintoma debilitante que nos tornam fracos, irritáveis ou confusos. Temos fome mais podemos esperar. Nosso apetite também muda; a ingestão dos alimentos torna-se mais prazerosa. Nosso nível de energia pelo dia afora muda: sentimos um nível de energia mais constante e mais claridade mental. Perda de peso é outra sinal que você esta funcionando com gorduras.

Atividade física

Este é um componente importante que muito ajuda com esta mudança de dieta a ser feita. Quanto mais atividade você fizer e também intercalar esta atividade como jejum melhor. É outra maneira de educar o corpo a ir buscar a nutrição em de outras formas. Qualquer atividade física é benéfica, porem o levantamento de peso se destaca.




PLANO DE ALIMENTAÇÃO: o método


 

Na dieta tradicional para diabéticos, usam o sistema de contagem de carboidratos. Esqueça esse sistema pois além de complicadíssimo não adianta nada. É simplesmente impossível saber quantas calorias estamos ingerindo e quantas estão sendo gastas. Além do mais não adiantaria saber pois ainda estamos comendo carboidratos e produzindo insulina e glicose contando calorias ou não. A ideia aqui é eliminar a glicose e insulina em níveis significativos e livrar-se da diabetes de uma vez por todas.

A dieta é muito simples: basta você alimentar-se de 10 -20 % de carboidratos e proteínas e  80 – 90% de gorduras. O difícil é faze-lo de forma sustentável. Dai a ideia de ter um plano. Comece bem devagar e por partes; ao mesmo tempo acompanhe o nível do seu açúcar fazendo checagem diária.

Vá devagar. Mudar uma dieta é algo monumental. Se você for muito rápido não vai dar certo. Você passou a sua vida inteira comendo carboidratos, e parar de uma vez não é possível. De certa forma, como você faz é mais importante do que a dieta em si. Assuma uma postura de um projeto a longo prazo para ter sucesso.

 

Primeiro mês

O primeiro mês você vai somente eliminar o açúcar de mesa adicionados e depois todos os alimentos que tem açúcar adicionado. Você sabia que 80% dos alimentos de pacotes tem açúcar adicionado? Pois é, no primeiro mês quero que você somente tome consciência da quantidade de açúcar que tem usado e quantas vezes é solicitado a comer açúcar. No primeiro mês corte todos os itens abaixo:

  • Açúcar de mesa
  • Mel
  • Melado
  • Refrigerante (zero cal também)
  • Caldo de cana
  • Suco de frutas (suco de frutas tem mais açúcar do que refrigerante)
  • Biscoitos
  • Bolos
  • Doces de padaria
  • Confeitos
  • Balas
  • Chocolates
  • Pão doce

Corte todos os doces. Ao mesmo tempo note que muitos alimentos industrializados, empacotados e enlatados tem açúcar. Se eliminar os açúcar de mesa já é algo que você esta fazendo, continue a se aprimorar. Se você não conseguiu eliminar o açúcar de mesa então repita o primeiro mês ate ter um bom resultado. Somente eliminado o açúcar de mesa vai notar como a sua glicose já vai ficar mais mais baixa.

Faça a medição do seu açúcar diariamente, escolhendo uma hora do dia e faça na mesma hora todos os dias anotando os resultados

 

Segundo mês

Uma vez que você conquistou o açúcar de mesa, chegou a hora de cortar os carboidratos e aumentar as gorduras. Comece apenas diminuindo:

  • Arroz branco ou integral
  • Massas
  • Pão branco ou integral
  • Todos os alimentos feitos com farinhas (isso não vai ser mole)
  • Grãos (incluindo feijão)
  • Batatas
  • Amidos
  • Legumes
  • Frutas
  • Suco de frutas

Ok, isso não vai ser fácil, pois basicamente a lista acima é o que há de mais comuns na nossa dieta. Primeiro elimine os maiores culpados. Concentre-se no arroz, massas e pão branco ou integral.

A farinha integral e os alimentos integrais são certamente melhores. Mas eles não vão influir muito para o controle da insulina. Farinha integral ou não ainda promovem a produção de insulina da mesma forma

No primeiro mês concentre-se em apenas diminuir em quase 100% as massas, pão e arroz branco ou integral. Mantenha os outros carboidratos na mesma proporção.

Comece a acrescentar porções maiores de gorduras. Seja generoso(a) com a manteiga, queijos e leite integral, iogurte integral.

 

Terceiro mês

No primeiro mês você eliminou o açúcar de mesa e açúcar adicionado; no segundo mês você se livrou do arroz branco, massas e pão. No terceiro mês comece a cortar todos os carboidratos até atingir a sua meta de porcentagem definida acima.

Comece a prestar atenção nos alimentos que tem mais gorduras saudáveis e adicione-os à sua dieta. Seja criativo

  • Costeletas de porco
  • Picanha com gordura
  • Ovos
  • Manteiga
  • Bacon
  • Feijoada
  • Toucinho
  • Linguiça
  • Salaminho
  • Queijos
  • Azeite de oliva
  • Gordura de coco

Ah…agora ficou mais fácil né. Essa dieta me parece muito gostosa. Veja que essa dieta começa a fazer sentido agora. Tudo aquilo que era proibido esta liberado. Sua nova dieta vai causar inveja. Porem uma advertência. Não confunda dieta rica em gorduras, com dieta gordurosa. Um bolo de chocolate é gorduroso mais não é isso que estamos falando. Gorduras assim com frituras feitas com óleo vegetal não valem e podem tornar essa dieta em algo perigoso

Por exemplo: um frango frito e nadando em óleo de soja ou qualquer outra fritura empanada como é dar vários passos pra traz. Lembre-se, margarina, e óleo vegetal tipo, soja, canola, milho não são gorduras saldáveis.

Outro aviso importante: esta dieta com maior porcentagem de gorduras só funciona se você se tornou um queimador de gorduras. Se você come uma quantidade alta de gorduras e ao mesmo tempo continua comendo carboidratos, não somente não vai afetar a produção de insulina mas poderá estar causando um mal ao seu organismo. Lembre da porcentagem 10% carboidratos 90% gorduras

A boa notícia é: se voce se alimente destas gorduras, vai ficar farto logo, não vai precisar de comer muito e só vai sentir fome muitas horas depois.

Turbine a sua dieta:

Não esqueça-se das nossas amigas as ervas e plantas medicinais. Existem mais de 400 plantas medicinais com propriedades antidiabéticas. Aproximadamente 50 são conhecidas, estudadas e de fácil obtenção. Recomendo a

Artemisa: com suas propriedades amargas, estimula a digestão em especial a digestão de gorduras, elimina também o desejo de comer coisas doces e um série de outros benefícios ao aparelho digestivo. Tome um chá de Artemisa bem amargo antes das refeições.

Óleo de cominho preto: este é um remédio milenar que tem propriedades anti oxidantes, antimicróbico, antiviral, e digestivas. Tem a propriedade de abaixar a glicose no sangue e uma infinidade de outras propriedades medicinais. Talvez ainda seja difícil achar esse produto no Brasil mas em breve tenho certeza.

CONCLUSÃO


 

Então amigo (a), com a diabetes você tem três opções:

  1. Não faça nada e observe a deterioração do seu corpo. Continue a alimentar-se do mesmo jeito e sofra dos males da diabetes
  2. Vá ao médico e comece a usar comprimidos anti hiperglicêmicos e insulina. Continue a comer carboidratos aconselhados pelo Dr. e note o seu açúcar subir. A um certo ponto ele vai receitar insulina e as doses só vão aumentando. Voce vai a academia faz ginastica e nada muda, a sua diabetes só progride.
  3. Para de comer carboidratos e começa a se alimentar de mais gorduras e reverta a diabetes

O erro que muitos fazem é pensar que somente eliminado os carboidratos é o suficiente. Esta é mais ou menos a postura da dieta tradicional para diabéticos, baseada na contagem de carboidratos. Eliminar os alimentos, mas o erro é que eles não os substituímos por nada. Logo o pobre paciente esta esfomeado e volta a comer tudo incluindo coisas doces em busca da satisfação alimentar.

Com essa dieta este problema esta resolvido pois a dieta esta lhe dando todos os nutrientes necessários à saúde. Além de ser bem gostosa.

O mais difícil é conseguir mudar a cultura alimentar. Isso é uma decisão que só você pode tomar. Você não precisa acreditar em min, faça você mesmo e veja se da resultado. Qualquer dúvida me manda um recado nos comentários abaixo.

Boa sorte e bom dia amigo (a)!


 

 

 

 

Referencias:

  1. Carbohydrates, dietary fiber, and incident type 2 diabetes in older women
  2. Increased consumption of refined carbohydrates and the epidemic of type 2 diabetes in the United States: an ecologic assessment
  3. Prospective Study of Dietary Carbohydrates, Glycemic Index, Glycemic Load, and Incidence of Type 2 Diabetes Mellitus in Middle-aged Chinese Women
  4. A Randomized Trial of a Low-Carbohydrate Diet for Obesity
  5. The Effects of Low-Carbohydrate versus Conventional Weight Loss Diets in Severely Obese Adults: One-Year Follow-up of a Randomized Trial
  6. Low-carbohydrate diet in type 2 diabetes: stable improvement of bodyweight and glycemic control during 44 months follow-up
  7. One-Year Comparison of a High–Monounsaturated Fat Diet With a High-Carbohydrate Diet in Type 2 Diabetes
  8. The effect of high-protein, low-carbohydrate diets in the treatment of type 2 diabetes: a 12 month randomised controlled trial
  9. Hyperinsulinemia A Link Between Hypertension Obesity and Glucose Intolerance

 

Imagem: Pixabay

 

Comments

comments

In Category: DIABETES BRASIL

Marcos Taquechel

Marcos is an RN. Thanks for stopping by and reading my posts. I hope you are able to get something useful out of this blog. Take good care of yourself and don't worry about anything until you have something to worry about.

Show 6 Comments
  • bruno June 15, 2017, 15:43

    Meus parabens um otigo artigo me inspirou muito

  • Paulo Ferreira April 26, 2016, 14:59

    Realmente o diagnóstico do diabetes tipo 2 tem que ser muito bem avaliado e principalmente, muito bem aceito pelo paciente. Novos hábitos alimentares, reeducação de hábitos não saudáveis, são atitudes que precisam ser tomadas em casos como esses. Artigo muito esclarecedor.
    Parabéns!

  • julio dos santos April 4, 2016, 17:20

    muito boa a publicação, é sempre bom ser informado por pessoas competentes, parabéns

  • Roger March 29, 2016, 10:31

    Quanto antes identificarmos a doença melhor para o tratamento, por isso a importância de fazer exame de glicose de tempos em tempos. Tenho um amigo diabético e vejo o cuidado extremo que ele tem com a alimentação.
    Parabéns pela matéria!

  • Rodrigo César December 27, 2015, 09:27

    Oi muito bom seu artigo, bastante esclarecedor a diabetes e uma doença silenciosa e quando descoberta deve ser logo controlada com uma alimentação saudável. Um abraço.

Leave a Comment