A Meditação Consciente e a Mente do Macaco Louco: Meditação para o Dia a Dia

A diferença entre meditação consciente e meditação de relaxamento


 

O vídeo clipe do Mingyur Rinpoche abaixo é sobre a meditação e como ela pode melhorar a vida no dia a dia. Não deixe-se enganar pela simples mensagem do vídeo. Na verdade é uma introdução a um universo complexo – o poder transfarmativo da meditação consciente.

Antes de aprofundarmo-nos, uma distinção deve ser feita: esclarecer a diferença entre a meditação da atenção plena (mindfulness), e a meditação para relaxamento. Um fato pouco contemplado.

Meditação para relaxar

Várias técnicas podem ser usadas para conseguir o relaxamento. Mantras; visualizações; um lugar tranquilo; músicas para acalmar, e o engajar da mente em pensamentos positivos são algumas.

Muitas pessoas pensam que meditar é apenas sentar-se relaxadamente e acalmar a mente com pensamentos agradáveis. Muito embora existam benefícios no uso destas técnicas; o relaxamento por si só não vai muito longe.

Vários tipos de meditação que induzem o relaxamento, tem objetivos similares: ativar a mente superior, ou o seu ser interno. Confira neste link, a lista de praticas.

Relaxamento e consciência estão intimamente relacionados. Tornamo-nos mais conscientes quando estamos totalmente relaxados. Existem grandes benefícios associados a apenas sentarmos por alguns minutos por dia, e relaxar.

Apesar de não ter nada de errado na pratica do relaxamento, existem boas razões para explorar o que Mingyur Rinpoche diz. Há algo radicalmente diferente na meditação consciente.

A mente do macaco louco, ou macaco tagarela (como explica o Rinpoche) refere-se à nossa mente que esta sempre pensando, doando sua opinião em tudo. A técnica da respiração e a atenção no macaco são ótimas ferramentas para a prática. A técnica é simples, mas produz mudanças profundas ao nosso interpretar da realidade. Alguns minutos por dia podem alterar a plasticidade do cérebro.

 

Meditação da atenção plena (Mindfulness)

A Meditação da atenção plena ou meditação consciente promove exatamente o que diz: a conscientização. O foco principal é a atenção plena: o relaxamento fica em segundo plano. A meditação da atenção plena envolve algum trabalho, nem sempre agradável ou relaxante. Falaremos sobre isso mais adiante.

“A ideia da meditação consciente é que podemos limpar a confusão de nossa mente. Para conseguir isso, precisamos primeiro estar cientes do que está causando a confusão em primeiro lugar.”

Nós somos criaturas complexas. Temos emoções, medos, egos pensantes e interferências das emoções alheias. Muitas vezes somos levados pelos nossos impulsos gerados pelo pensamento. Isso é o que Mingyur Rinpoche chama de a mente do macaco tagarela. Nossa fala e discursa 24 horas por dia e 7 dias por semana, e nós (na maior parte do tempo) nem sequer estamos conscientes disso. Estamos tão acostumados a interagir com o macaco louco, que não notamos a sua presença.

A meditação tipo mindfulness é simples – apenas sentar e estar ciente. Estamos atentos a tudo: onde estamos, o nosso corpo, e o que está acontecendo com a mente. A mente está constantemente pensando e tagarelando. Não há nenhuma razão para tentar desligar a mente do macaco louco: apenas prestamos atenção.

Quando você pratica a meditação consciente, o seu foco esta na respiração. A ideia é em concentrar-se em algo.  Como por exemplo, a respiração, que é constante e não para.

Sabemos que estamos respirando; e há várias maneiras de perceber esse movimento – ele é real. Você sente seu peito subir e descer. Você pode ouvir a sua respiração. Em última análise, a respiração é a sua vida. Por isso, é uma ótima ideia usar a respiração como foco da meditação, porque nos conecta com o nosso momento presente.

Depois de um curto tempo prestando atenção na sua respiração, a mente volta a pensar. O macaco começa a sua tagarelice habitual. Tudo que você tem a fazer é reconhecer e rotular: pensamento, macaco, e gentilmente voltar à atenção para a respiração. Este é um exercício simples e pragmático que qualquer pessoa pode fazer.

A ideia central é que quando você torna-se consciente do processo do pensamento, também é capaz de reconhecer que está pensando. Dai percebe-se que há outras coisas acontecendo, e que não é só o pensamento discursivo que existe.

Ao concentrar-nos a atenção em um único aspecto mental cria-se um contraste com todos os outros fenômenos – você começa pela primeira vez, perceber que existem coisas novas, além de somente os pensamentos.

Com o tempo, essa prática cria um espaço entre o seu pensamento e a consciência do presente momento. Começa-se a fazer uma distinção entre os dois. Esta percepção cria um espaço entre suas emoções e o mundo.

Ao longo do tempo os resultados vão surgindo. Você sentirá menos inclinado a reagir impulsivamente. Não porque controla à força suas emoções mas simplesmente não da tanta atenção ao macaco tagarela. (Uma ou duas bananas talvez…)

A técnica

Postura: Este é um ponto muito importante. Sem uma boa postura é difícil estar ciente de qualquer coisa. Sente-se em uma almofada de meditação na qual você sinta-se bem. Cruze as pernas confortavelmente. Não precisa ser uma posição de yoga perfeita, basta sustentar a coluna em posição ereta. Esteja consciente de como sua cabeça se posiciona em relação ao seu pescoço e a coluna.

Seu olhar:  Seu olho está aberto, o olhar é suave, 50 cm à frente. Os olhos abertos são um aspecto importante. Mantenha um olhar sereno a sua frente. Este é um dos elementos mais característicos da meditação consciente.

Quando nossos olhos estão abertos estamos mais conscientes: somos convidados a estar alerta. Nada está bloqueado. Estamos menos estimulados a criar paisagens em nossa mente; estamos no momento presente e a realidade tipo: é o que é. Os olhos abertos também são uma boa ferramenta porque quando você não está meditando, torna-se mais fácil trazer a mente meditativa para a nossa dia a dia.



A técnica: Respire algumas vezes profundamente e logo em seguida retorne ao seu ritmo normal. Preste atenção na respiração. Observe como o ar entra e sai. Concentre sua atenção apenas na respiração. Esteja consciente do lugar onde esta sentado, do seu corpo, e do que esta a sua volta, sem focar a sua atenção em alguma coisa específica ou tentar analisar ou julgar algo

O macaco tagarela: Ao concentrar-se na sua respiração, você notará que a mente inevitavelmente começará a se dispersar, e em poucos minutos você vai perceber que você não está prestando atenção na sua respiração, mas sim conversando com o macaco.

Isso é bom. Agora tudo que você tem a fazer é voltar gentilmente a prestar atenção na respiração. Isso vai acontecer várias vezes durante a meditação. A pratica consiste basicamente em perceber como a mente começa a pensar e como você retorna a sua atenção para a respiração. O que acontece então? Por que com esse simples exercício eu me tornaria mais consciente?

O que a meditação faz com a mente

Primeiramente, você está pedindo sua mente para executar uma tarefa única. Durante a meditação, não dormimos e nem ficamos num estado desperto. É um estado de espírito em que há uma intenção deliberada em apenas estar ciente e não fazer coisa alguma. Normalmente, não fazemos isso.

Você basicamente regula o mecanismo de como a sua consciência funciona. Você está descobrindo e explorando o painel de controle da mente. Quando fazemos estes simples exercícios diariamente, sentados numa almofada você começa a perceber uma coisa muito importante:

Que existem dois mundos distintos em sua mente. Um deles é o seu pensamento (mente do macaco louco), o outro é o que você estará descobrindo

Quanto mais você conseguir aperfeiçoar sua pratica da meditação consciente, mais clareza você terá em perceber o que acontece no seu mundo.

Sua mente torna-se capaz de discernir entre o que é real e o que é só pensar. Você é capaz de criar, pela primeira vez, um pequeno espaço entre o seus pensamentos, as suas emoções, e o mundo ao seu redor. Como isso é útil? Tremendamente útil.

Resultados: Há uma enorme lista de benefícios da meditação no final deste post. Aqui está o que eu aprendi: Levo menos tempo para perdoar alguém. Observo que ainda fico bravo, mas o tempo que eu levo para me acalmar é bem menor. O grau de ansiedade do meu cotidiano também diminuiu.

O exercício: A parte mais difícil sobre da meditação consciente, é senta-se e praticar. Às vezes você vai se perguntar: “mas que diabos eu estou fazendo aqui, não sinto nada acontecer!.” No início, a mente do macaco tagarela irá protestar e conversar ainda mais alto.

As vezes, sua mente vai se sentir como uma cachoeira fazendo muito barulho. Num primeiro momento, será bem barulhenta, depois ao continuar meditando, se tornará mais silenciosa. Com o tempo o rio de corredeiras vai diminuir e ai você vai ouvir um fluxo menor e eventualmente, apenas um pequeno riacho correndo calmamente.

Pode ser que a meditação gere mais irritação. Você terá que lidar com isso. Quanto mais você praticar, mais clara sua mente se tornará. Às vezes poderá sentir que tudo isso está dando muito trabalho, e outras vezes sentirá contentamento.

Meditação em ação

Há um efeito direto da meditação, mas há também um benefício indireto que pode ser testemunhado por suas ideias enquanto você medita. Durante a meditação, você verá como sua mente pode estar distraída naquele dia. Você vai notar a sua dificuldade em trazer a mente a um estado contemplativo.

Isto por sua vez pode apontar para as coisas que você precisa trabalhar quando não esta meditando. Meditação em ação é quando você traz a meditação para sua vida diária. A meditação torna-se mais real e significativa desta forma. Você pode transformar eventos diários regulares em meditação, simplesmente tornando-se consciente deles.

clear-water-lake.jpg

“Também podemos pensar na mente como sendo uma lagoa. No início, a lagoa é obscura e não podemos ver através. Porem ao que mais se contempla, a água torna-se clara ao que as impurezas são levadas para o fundo.”

 

Mas você deve praticar todos os dias por pelo menos 10 minutos, 20 é melhor. Nada disto que foi dito faz muito sentido a menos que você sente-se e pratique. Apenas com a constância e a pratica da meditação consciente é que você irá sustentar as mudanças de consciência.

Você poderá sentir alguns resultados, mas se parar com a prática, rapidamente voltará para o ponto onde começou. A experiência constante de perceber o seu pensamento, transfere-se para sua vida diária e o resultado final é que você vai se tornar mais presente e capaz de perceber o que está realmente em torno de você ao invés de reagir a tudo como o macaco tagarela.

Leia o texto original em Inglês aqui

Imagem: Pixabay

Referencias:

Comments

comments

Meet the Author

Marcos Taquechel

Marcos works as an RN in sub acute care and with the elderly. He believes you can heal yourself. By providing good useful information, others can use and transform their life. He keep searching for natural healing that produce results. Please leave a comment. Thank you

0 comments… add one

Leave a Comment