O uso da insulina precocemente, pode ser prejudicial

O uso da insulina precocemente, pode ser prejudicial. Os riscos podem ser maiores do que os benefícios


 

O

uso precoce da insulina para o tratamento da diabetes é uma opção que muitos médicos adotam; mas de acordo com um  estudo  isso pode causar mais mal do que bem. O tratamento da diabetes com o uso da insulina não é auto-sustentável e requer doses cada vez maiores. Também requer constantes modificações em dosagens e tipos de insulina. A insulina não preserva células-β do pâncreas que perdem suas funções ao mesmo passo da progressão da diabetes.

Melhores resultados podem ser obtidos com anti hipoglicêmicos orais como a metformina. Outros fatores de risco da terapia precoce são episódios de hipoglicemia grave, e o aumento da mortalidade cardiovascular, ganho de peso, assim como o risco de câncer. O excesso de insulina no sangue também pode levar a atividade mitogénica, uma condição encontrada em indivíduos com pseudoacromegali um distúrbio no qual a pessoa adquire características acromegálicas. Outras complicações provem do próprio uso de insulina que com o tempo diminui a sensibilidade das células tornando-as progressivamente insensíveis à insulina. Para mais informações, por favor leia insulinoterapia precoce para pacientes diabéticos tipo 2: More custo do que benefício

  • O excesso de insulina no sistema

Em pessoas sem diabetes, a insulina produzidas pelas células β no pâncreas não permanece por muito tempo no organismo, (o hormônio é rapidamente eliminado do sistema) aproximadamente ~ 5 min. Existe um pequeno atraso no sistema regulador de glucose de modo que a insulina não permanecer na corrente sanguínea por muito tempo. Quando a insulina é injetada ha uma rápida assimilação nos indivíduos com metabolismos normais, porem as injeções subcutâneas são absorvidas mais lentamente e sem o controle metabólico natural. Dependendo do tipo do local de injeção subcutânea e outros factores, a insulina injetada pode acumular-se. Isto, por sua vez, cria uma condição chamada de hiperinsulinemia, que significa que muita insulina esta acumulada no sangue de uma só vez. Esta condição esta associada com o crescimento de tumores e o crescimento celular anormal pelo corpo.

  • Efeito de injeções de insulina nas células

A injeção de insulina nas células provoca duas ações, uma é o controle da atividade metabólica, tais como a absorção e utilização de açúcares. A outra é a reguladora do crescimento das células, hormônio do crescimento, e outras funções relacionadas ao crescimento. Em uma célula normal, essas funções são equilibradas. Quando a célula são resistentes à insulina mais injeções são usadas para para o controle da diabetes, e as atividades relacionadas ao crescimento que são mais estimuladas, e podem se desequilibrar. Evidências sugerindo esta isso são apresentadas em estudos em pacientes com Pseudoacromegaly. A acromegalia apresenta características marcantes em indivíduos resistentes à insulina.

  • Hipoglicemia e o aumento da mortalidade

Até bem recentemente pensava-se que a incidência de hipoglicemia associada ao uso intenso de insulina era pequena, mas estudos recentes em pacientes com regimes intensos de insulina provam o contrário. Um estudo recente e de longo prazo chamado Ação de Controle de Risco Cardiovascular na Diabetes (ACCORD) mostrou um aumento de hipoglicemia de 15,9% para o controle glicêmico intensivo contra 5,0% ao controle glicêmico padrão. Outro estudo do Veterans Affairs Trials Diabetes (VADT) teve um aumento de 21,1% para insulinoterapia intensiva contra 9,7% para um grupo de uso moderado. A mortalidade cardiovascular também foi maior em estudos onde pacientes foram tratados com insulina prandial (insulina administrada antes das refeições)

  • O ganho de peso

O uso da insulina também provoca ganho excessivo de peso. A magnitude desse aumento é influenciada por alguns factores

  1. Nível do controle glicêmico inicial
  2. O controle glicêmico alcançado
  3. Duração da terapêutica com insulina
  4. Tipo de regime de insulina utilizada
  5. Agentes orais utilizados

Em um estudo onde o foco é a normalização dos níveis de hemoglobina glicada A1c durante 6 meses com doses múltiplas e tratamento intensivo de insulina, o ganho médio de peso foi de 8,7 kg. Ao adicionar agentes orais que mostrou uma diminuição de 1,4% em A1c e apenas 6,4 kg de peso. O mecanismo responsável pelo aumento de peso nos doentes tratados com insulina, é complexo e pode resultar, em parte por uma diminuição na glicosúria. Outras formas de tratamento como a metformina têm demonstrado promover a perda de peso. O aumento do peso é associado com um aumento marcante na circunferência da cintura. Vide que a metformina assim como outros anti hiperglicêmicos orais podem ser subsistidos por ervas e plantas anti diabéticas.

  • Risco de câncer

Recentemente, ha uma preocupação crescente devido à associação do uso de insulina com o aumento da incidência de câncer. Foi confirmado que, o câncer hepatobiliar pancreáticos, do cólon, e o de mama aparecem com maior incidência em diabéticos do que na populações não diabéticas. As razões para estas associações podem ser múltiplas e incluem a obesidade, hiperglicemia, resistência a insulina, e a terapia anti-hiperglicêmica precoce. O tratamento intenso e crônico de insulina pode facilitar o crescimento canceroso.

O tratamento com insulina deve começar somente quando não há outros recursos para manter os níveis de glicose sob controle. A diabetes Tipo II é caracterizada por uma diminuição progressiva na massa de células β no pâncreas, portanto na maioria dos casos a deficiência total de insulina ocorre nos estágios mais adiantados da doença. O tratamento com insulina deve ser atrasado ao máximo devido a todas as complicações mencionadas acima. A nossa própria produção de insulina tem um processo metabólico único no corpo, e a insulina que injetamos tem uma ação diferente, criando uma série de problemas que devem ser considerados cuidadosamente e suas desvantagens e benefícios, analisados.

 

 

Referências

Crédito da imagem: flickr.com

Comments

comments

Meet the Author

Marcos Taquechel

Marcos works as an RN in sub acute care and with the elderly. He believes you can heal yourself. By providing good useful information, others can use and transform their life. He keep searching for natural healing that produce results. Please leave a comment. Thank you

0 comments… add one

Leave a Comment